Mais despojo e destroço avistados

Despojos e destroços foram recolhidos ontem pelo navio-anfíbio francês Mistral numa área a 950 km do Arquipélago de Fernando de Noronha. Não há quantificação dos despojos e só depois da pré-identificação por peritos da Polícia Federal, em Noronha, se poderá afirmar se são fragmentos de corpos humanos. Os despojos devem ser transferidos para o navio tanque da Marinha brasileira Gastão Motta, que guarda na câmara frigorífica o 50.º corpo recolhido, sem previsão de data para ser levado para o processo de pré-identificação. Segundo o comando da operação pelo Brasil, as equipes de buscas e resgates dispõem de suprimentos e meios para estender a atuação até o dia 25.Amanhã, a Corveta Caboclo deve desembarcar, no Porto do Recife, destroços e bagagens, que serão transferidos para a comissão de investigação francesa (BEA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.