Mais problemas de trânsito

Carta 19.618Sempre houve muitos acidentes no cruzamento da Rua do Imperador com a Coronel Jordão, na Vila Guilherme. Após meses de estudos, instalaram uma rotatória e placas indicando que o ingresso na rotatória tem a preferência, apesar de certos desavisados ainda não saberem disso e avançarem sobre os carros que estão na rotatória. Também não retiraram a sinalização de Pare da Rua do Imperador - e por causa disso, em caso de um choque entre dois ou mais carros, todos terão razão!ARISTIDES S. XAVIER NETOVila GuilhermeA CET responde:"Há um projeto para retirar as placas de Pare e Cruze com cuidado do local em questão, atendendo ao pedido do leitor. O projeto será realizado de acordo com o nosso cronograma de serviços de sinalização." Quantos atropelamentos e mortes ainda serão necessários, até que a Prefeitura mude a sincronização dos semáforos para três fases, no cruzamento da Avenida Giovanni Gronchi com a Rua Laerte Setúbal? Os mais prejudicados pela atual situação são os moradores da favela Paraisópolis.ARTHUR PISANICapitalA CET responde:"Já existe um projeto prevendo a colocação de um semáforo na travessia de pedestres nas Ruas Laerte Setúbal (local reclamado pelo leitor) e São Pedro Fourier, dividindo o estágio da Fourier em dois: conversão à esquerda e à direita, parando quando existir demanda. Ele será executado de acordo com o cronograma de serviços."Carta 19.619Agora no MorumbiMoro na região do Morumbi, e o trânsito na Avenida Giovanni Gronchi está cada vez pior. Os motoristas não respeitam as faixas contínuas de solo com tachões, e fazem conversões como se as faixas não existissem. A CET deveria levantar uma mureta no meio (centro) da avenida, como fez na Rua Francisco Morato e na Oscar Americano. Outro problema está na Avenida Juscelino Kubitschek, esquina com Prof. Atílio Innocenti, onde a sinalização de solo indica duas faixas exclusivas para conversão à esquerda, e uma terceira faixa permitindo a conversão ou ida em direção ao Túnel Jânio Quadros. Nos horários de pico, quando a Juscelino Kubitschek fica lotada, é comum vermos um único motorista parado nessa terceira faixa para virar à esquerda, mesmo com um número mínimo de carros nas duas faixas exclusivas. Como a sinalização permite isso, esquecem o bom senso. Muitos motoristas transitam por essas faixas exclusivas e depois cortam perigosamente à frente dos demais que pretendem seguir em direção ao túnel. SÍLVIA REGINA SOARES ROGERIVila Suzana A CET responde:"Intensificamos a fiscalização no cruzamento da Avenida Juscelino Kubitschek com a Rua Professor Atílio Innocenti, como também na Avenida Giovanni Gronchi, no trecho entre a Avenida João Dias e o Estádio do Morumbi, com o objetivo de coibir as infrações que nos foram relatadas. A área técnica da CET estuda possíveis melhorias na sinalização das conversões, além da viabilidade da construção de um canteiro divisor de fluxo de veículos." Peço à Prefeitura que repinte as faixas de pedestres e coloque sinalização na esquina das Ruas Artur de Azevedo e Lisboa, em Pinheiros. A situação dessa encruzilhada é grave e está irregular.ALFREDO FERNANDESPinheirosA CET responde:"Após vistorias no cruzamento, os nossos técnicos elaboraram um projeto de manutenção de sinalização horizontal, prevendo a repintura das faixas para a travessia de pedestres, das linhas de retenção e das linhas duplas amarelas, para melhorar a segurança do local. O serviço será feito em breve, de acordo com o cronograma de serviços já estabelecido." Já fiz queixas à Prefeitura sobre as lombadas clandestinas na Rua Antônio Júlio dos Santos, entre a Rua Ernest Renan e a Avenida Giovanni Gronchi, mas não houve nenhuma ação do poder público. Na Rua Pasquale Gualupi, quase na esquina com a Rua Antônio Júlio dos Santos, também foram construídas lombadas clandestinas. FRANCISCO ANTÔNIO BIANCO NETOParaisópolisA CET responde:"O obstáculo do qual o leitor reclama foi removido em fevereiro. No local, só há marcas do recapeamento feito no pavimento após a remoção da lombada."Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.