Mais tiroteio e provocação entre policiais e traficantes no Rio

PM e Força Nacional de Segurança estão há 3 dias no Complexo do Alemão

Agencia Estado

19 de junho de 2007 | 11h05

O veículo blindado do 16º Batalhão da Polícia Militar derrubou na manhã desta sexta-feira, 15, um muro usado como casamata pelos traficantes do Morro da Fazendinha, no Complexo do Alemão, que voltaram a provocar os agentes da Força de Segurança Nacional exibindo fuzis e atirando em direção à avenida Nossa Senhora da Penha, onde os policiais estão concentrados.Na quinta-feira, apesar do avanço da polícia, os criminosos exibiram ousadia. Na entrada da Fazendinha, homens exibiam fuzis e pistolas a 500 metros da Estrada Velha da Pavuna onde estavam os agentes da FNS . Alguns dançavam e atiravam quando a polícia ameaçava avançar. Eles estavam protegidos por um muro de concreto construído em plena rua.Apesar dos tiros ouvidos em vários pontos no Complexo do Alemão nesta sexta, não havia informações sobre feridos. O comandante da Polícia Militar, coronel Ubiratan Ângelo, que na segunda-feira, 11, saiu apressado de uma reunião na favela Vila Cruzeiro com diretores de escolas da região devido a tiroteios, deve voltar ao Complexo nesta sexta para conversar com moradores.Na quinta-feira, segundo dia da operação "Cerco Amplo" da Força Nacional de Segurança (FNS) e da Polícia Militar, quatro criminosos morreram e três ficaram feridos. Durante a noite, um agente da FNS foi ferido sem gravidade por um tiro de raspão na cabeça. Ele foi atendido no local e continuou na operação durante a noite. Pela manhã, traficantes armados voltaram a desafiar os policiais que cercaram todas as saídas do conjunto de favelas, mas à tarde a PM conseguiu avanços e realizou patrulhamento a pé e em viaturas em morros onde conseguia entrar apenas com os veículos blindados, apelidados de "caveirões".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.