Mais um envolvido na morte de Schincariol é denunciado

O promotor de Justiça Amauri Arfelli denunciou hoje mais um suspeito de participação na morte do empresário José Nelson Schincariol, dono da cervejaria Schincariol, assassinado com três tiros no dia 18 de agosto. Ele pediu o indiciamento formal de Márcio Ricardo Bachi, o Gaúcho, por ter atuado no planejamento do crime. Schincariol foi morto quando guardava o carro na garagem da residência, no centro de Itu, no interior paulista.O promotor definiu, com base no inquérito, a participação dos outros seis acusados do crime. Entre eles, Gleison Lopes de Oliveira, amigo do filho de José Nelson, Alexandre Schincariol, que forneceu as informações sobre a rotina do empresário.O promotor excluiu do processo o garçom Valdinei Sabino da Silva, preso por engano, e o acusado Rodrigo Antonio Raimundo Sbrissa, que guardou a arma. Segundo o promotor, o fato de ter guardado o revólver não o responsabiliza pelo crime. Os acusados já tiveram a prisão preventiva decretada e estão incursos no crime de latrocínio (matar para roubar), cuja pena vai de 20 a 30 anos de reclusão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.