Mais um ferido em massacre no Rio tem alta; dez seguem internados

Três alunos da escola em Realengo estão em estado grave; crianças mortas são enterradas na zona oeste

Solange Spigliatti, Central de Notícias

08 Abril 2011 | 15h05

SÃO PAULO - Mais um adolescente ferido pelo atirador do Realengo, na zona oeste do Rio, recebeu alta hospitalar nesta sexta-feira, 8, diminuindo para 10 o número de vítimas que permanecem internadas, segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde do Rio. Entre os pacientes, oito são meninos e dois meninas.

 

Veja também:

linkAtirador recarregou arma ao menos 9 vezes

linkCrianças mortas são enterradas em 2 cemitérios

link'Vou matar. Não adianta fugir', dizia atirador

linkAtirador era calado, tímido e vivia na internet

linkEm carta, atirador deixa instruções de enterro

linkEUA e Brasil: diferenças e semelhanças

blog Gabeira: Tinha bala para quase toda escola

mais imagens Imagens do local do atentado

especialO passo a passo da ação do atirador

especialViolência e tragédia nas escolas

 

Segundo o boletim, a adolescente R. L. R., de 13 anos, baleada no abdômen, teve alta hoje do Hospital Estadual Albert Schweitzer. Ontem, P. S. F., 14 anos, que teve uma lesão na perna, e que estava no mesmo hospital, também foi liberado.

 

No Hospital Estadual Alberto Torres, permanece internado no CTI pediátrico J. O. S., de 14 anos, que sofreu uma lesão vascular grave no ombro direito. Ele foi operado e passa bem, encontra-se estável, lúcido e orientado.

 

No Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, L. V. S. F., de 13 anos, está em estado grave e respira com ajuda de aparelhos, após passar por uma neurocirurgia. Ele foi baleado no olho direito. Seu estado de saúde é estável.

 

T. T. M., de 13 anos, que foi atingida no abdômen e coluna, foi operada ontem no Hospital Estadual Albert Schweitzer e transferida para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes. Ela também é paciente em pós-operatório, em estado grave, mas estável. A menina está sedada, respira com ajuda de aparelhos e tem acompanhamento rigoroso.

 

No Hospital Estadual Albert Schweitzer, C. M. V. S., de 13 anos, teve fratura de antebraço e mantém-se estável, em observação e sem previsão de alta. Já E. C. A. A., de 14 anos, que foi baleado no abdômen e mão, permanece sedado em estado grave, respirando por auxílio de aparelhos.

 

D. D. V., de 12 anos, baleado no abdômen, foi encaminhado ao CTI pediátrico, sem previsão de alta. Encontra-se em pós operatório, sendo acompanhado pela equipe de cirurgia geral, ortopedia e pediatria.

 

As vítimas internadas no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia são Y. B. O. P. N., de 13 anos, que foi baleado no braço. Ele passa bem e tem boa recuperação cirúrgica. Está em observação pelos médicos.

 

B. R. T., de 13 anos, foi baleada nas mãos. Passa bem após a cirurgia e está em observação pelos médicos. Os dois permanecem internados na enfermaria da pediatria. Estão estáveis.

 

L. G. C., de 13 anos, baleado na perna e no braço, está internado no Hospital Universitário Pedro Ernesto. O paciente encontra-se estável, consciente e lúcido e seu quadro evolui bem.

 

A. M. F. S., de 14 anos, está internado no CTI pediátrico do Hospital da Polícia Militar. Ele foi baleado na cabeça, mão e clavícula. Foi operado ontem. O paciente encontra-se estável e passa bem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.