Mais um servidor envolvido pede demissão

Mais um personagem do suposto esquema de tráfico de influência que derrubou Erenice Guerra pediu demissão. O advogado Stevan Knezevic deixou cargo que ocupava no Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), órgão vinculado à Presidência. Com a demissão, ele volta à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), onde entrou para o serviço público como técnico administrativo.

MARTA SALOMON e ALEXANDRE RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2010 | 00h00

No Sipam, trabalhou como assessor da coordenação-geral de integração institucional. Cabia a ele redigir contratos de cooperação técnica, informou o Sipam.

Stevan Knezevic tem 25 anos e foi mencionado pela revista Veja como sócio da empresa de consultoria Capital, por meio da qual Israel Guerra, filho de Erenice, teria intermediado a renovação de licença para a MTA Linhas Aéreas. A colegas de trabalho, Stevan negou ser sócio de Israel. O empresário Rubnei Quícoli, que teria tentado obter financiamento no BNDES, também citou Stevan como um "avião, com uma porta aberta na Casa Civil e outra no BNDES".

O BNDES negou que Stevan atuasse na aprovação de financiamentos, dizendo que não há registro de sua entrada no banco: ele não é conhecido e não tem qualquer relação com o banco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.