Mais um sindicalista é assassinado no Pará

O sindicalista Osvaldo Pereira Santos, 32 anos, presidente da Associação dos Pequenos Produtores do assentamento Jerusalém, em Itupiranga, no sul do Pará, foi encontrado morto às margens de uma estrada vicinal a 30 quilômetros do loteamento onde morava. O corpo, com tiros no peito e cabeça, foi achado por um colono da região no final da tarde de segunda-feira, mas somente hoje a polícia de Marabá foi informada sobre o crime. Uma equipe de policiais se deslocou para a área do assentamento, onde começou a investigar o caso. O sepultamento foi hoje á tarde.O sogro do sindicalista, Jorge Machado, durante depoimento prestado na polícia, disse que Santos fazia parte de uma lista de pessoas marcadas para morrer na região. Ele teria caído em desgraça junto aos fazendeiros por incentivar a invasão de fazendas. "Eu já tinha avisado a ele para que tomasse cuidado", afirmou Machado.Com o assassinato de Santos, esse foi o terceiro crime de encomenda contra líderes de trabalhadores rurais em menos de 15 dias no sul do Pará. No sábado retrasado, a primeira vítima foi o presidente da Central Única das Associações de Pequenos e Médios Produtores Rurais de Marabá e presidente do Assentamento da Vila Cupu, Jorge Luiz Ribeiro Machado, de 46 anos, morto de tocaia. No sábado passado, a segunda vítima foi o líder comunitário e administrador da Vila Itainópolis, em Marabá, Antonio Arruda, de 59 anos, morto com dois tiros de pistola na cabeça. Em Belém, cerca de 600 sem terra ligados ao MST estão acampados desde segunda-feira numa praça, para protestar amanhã contra a impunidade dos 142 policiais militares acusados de matar 19 sem terra em Eldorado dos Carajás, há sete anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.