magada Vrosk/Agência Pará/Divulgação
magada Vrosk/Agência Pará/Divulgação

Dois sobreviventes de naufrágio são localizados e Pará encerra buscas

Homens eram considerados desaparecidos na tragédia que deixou 23 mortos; equipes dão apoio psicológico às vítimas

O Estado de S. Paulo

25 Agosto 2017 | 20h16

Os últimos dois homens considerados desaparecidos após o naufrágio de um barco no Rio Xingu, que deixou 23 mortos, foram localizados com vida nesta sexta-feira, 25. Com isso, subiu para 29 o número de sobreviventes na tragédia. As buscas por desaparecidos foram encerradas. 

Depois do naufrágio da embarcação Capitão Ribeiro, Israel da Silva Souza seguiu para Vitória do Xingu, onde recebeu atendimento médico, e depois foi para Altamira. Ele foi dado como desaparecido até o início da tarde desta sexta-feira, quando foi localizado. As equipes de busca também localizaram Francisco Paiva, que foi resgatado por ribeirinhos e seguiu para o município de Uruará. 

Para atender os sobreviventes, um grupo de trabalho interdisciplinar foi criado pelo governo do Estado e pela prefeitura de Porto Moz, onde a embarcação naufragou. A equipe dá apoio psicológico às vítimas. 

“O trabalho a principio foi permitir que estas pessoas extravasassem os sentimentos após o trauma”, explica o psicólogo Ary Georg, em entrevista à Agência Pará, do governo estadual. “Após ele retornar ao juízo de realidade deverá passar por um processo de avaliação e pode ser encaminhado a tratamento psicológico, pois está suscetível a desenvolver um estado depressivo, por exemplo”, comenta. O grupo dá suporte, ainda, para a regularização dos documentos perdidos pelos sobreviventes durante o naufrágio. 

Mortes. Nesta sexta, mais dois corpos, de duas crianças, foram localizados durante as buscas por desaparecidos após o naufrágio da embarcação. Os corpos são de uma menina com idade entre 8 e 10 anos e de um menino, com idade aproximada entre um e três anos. Segundo informações preliminares, crianças estavam no porão do barco e foram localizadas durante a retirada de mercadorias estocadas na área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.