Mais uma associação de PMs ameaça entrar em greve na Bahia

Com o impasse nas negociações entre governo e amotinados, associação decide na quinta sobre adesão à movimento grevista

Solange Spigliatti, da Central de Notícias

08 Fevereiro 2012 | 11h18

Mais uma associação de policiais militares da Bahia ameaça entrar em greve a partir desta quinta-feira, 8, após o fracasso das duas rodadas de negociações com o governo.

Segundo a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (AOPMBA), cerca de 1.600 militares poderão se juntar ao movimento grevista iniciada na semana passada se o governo não voltar atrás nas suas decisões.

A determinação sobre a paralisação das atividades deve ser tomada nesta quinta-feira, em Salvador, durante assembleia extraordinária para ouvir os associados sobre a adesão ao movimento.

Segundo a AOPMBA, durante a reunião realizada na tarde de ontem, a proposta apresentada pelo governo do Estado não satisfez as aspirações da categoria e que a contraproposta das Associações, segundo a área sistêmica, não poderá ser atendida.

Entre outras reivindicações, os policiais pedem a não aplicação de sanções administrativa, disciplinar ou criminal, aos participantes do movimento grevista que não tenham sido flagrados praticando atos contrários à lei e garantia do cumprimento das prisões preventivas nas unidades prisionais do Estado, preferencialmente em presídio militar.

Mais conteúdo sobre:
PM, greve, BA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.