Mais uma filha de Vilma pode ter outra mãe

Pelo menos três mulheres que conviveram com a ex-empresária Vilma Martins da Costa, na década de 70, devem ser investigadas pela polícia de Goiás, já que existe a suspeita de que uma delas pode ser a mãe biológica de Christianne Michelle Martins da Silva, a terceira das quatro filhas de Vilma.A Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) já levantou que o hospital onde Christianne teria nascido, no Rio de Janeiro, em 1974, não existe. "Mas, no cartório, ela foi registrada um dia após o nascimento", confirma o delegado Antônio Gonçalves Pereira dos Santos, que comanda a apuração do caso.Outro fato que está intrigando os policiais é o fato de Vilma Martins ter passado por vários Estados desde os 14 anos de idade, quando deixou Goiás, onde morava com os pais. Do local de seu nascimento, a ex-empresária foi para Brasília, onde conheceu seu ex-marido Carlos Soares da Silva, com quem trabalhou em um restaurante.Depois disso, o casal viajou para Presidente Prudente, no interior do Estado de São Paulo, onde ficou por três anos e onde nasceu a primeira filha, Patricia Helaine, e, em seguida, foi para o Paraná, onde nasceu Carla Beatriz. Depois disso, o casal seguiu para o Rio, onde Christianne teria nascido.Na passagem de Vilma também por Ribeirão Preto, no interior do Estado de São Paulo, não existem pistas sobre suas atividades. No depoimento de Soares e de Vilma há diversas contradições, principalmente ligadas às duas primeiras filhas do casal. Segundo o pai, Patrícia teria nascido no Hospital e Maternidade Santa Lúcia, em Presidente Prudente, enquanto Vilma afirma que a primeira filha nasceu no Hospital Vitor do Amaral.O mesmo acontece em relação a Carla Beatriz. O pai afirma que Vilma deu à luz no Hospital Santa Lúcia, mas a mãe assegura que foi no Hospital Cruz Vermelha, em Curitiba. O mais estranho é que ambas foram registradas dois anos após o nascimento, no mesmo dia.Mas as suspeitas maiores recaem sobre a paternidade de Christianne Michelle, pelo fato de pelo menos três mulheres diferentes - e de outros Estados, inclusive - terem afirmado que podem ser a mãe biológica dela."Não temos nada formalizado ainda", despista o delegado Gonçalves que, no entanto, também acha estranho o fato de Vilma não saber exatamente onde suas duas primeiras filhas nasceram. Mas, segundo investigadores que trabalham no caso, ambas não serão ainda alvo de investigação.Outro fato que reforça a suspeita da polícia é que Christianne é a única entre as quatro filhas de Vilma que é morena e alta, enquanto a empresária e seu ex-marido são de estatura baixa e claros.No domingo, depois da visita que Christianne, seus dois irmãos de criação, Pedro Rosalino Braule Pinto, o Pedrinho, e Roberta Jamily Martins Borges, fizeram a Vilma, todos foram vaiados pelos próprios parentes de presos. Alguns chegaram a esmurrar o carro onde os três estavam. O veículo teve que ser escoltado pela Polícia Militar por cerca de 5 quilômetros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.