Mais uma leva de celulares apreendidos em Bangu 4

O Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe)aprendeu nesta quinta-feira 53 celulares e 41 carregadores na Penitenciária Jonas Lopes deCarvalho (Bangu 4), na maior operação de vistoria já montada pelo órgão. Os presos da unidade haviam feito uma rebelião que começou no último sábado e terminou mais de 15 horas depois, com o saldo de um morto e seis feridos.A revista, que durou quase cinco horas, foi elaborada sigilosamente, para que os presos fossem apanhados de surpresa. Foram mobilizados 270 agentes, inclusive diretores de 20 outras unidades.Enquanto as celas eram vasculhadas, os cerca de 900 detentos ficaram no pátio. Não foram registrados incidentes. O secretário de Administração Penitenciária, Astério Pereira dos Santos, disse que a operação complementou a revista feita depois do motim do último fim de semana.?Não tenho dúvidas de que esse material já estava na unidade, uma vez que não há visitasdesde o motim. Estejam certos de que outras operações deste porte virão?, afirmou osecretário.A segurança em Bangu 4 foi reforçada desde a rebelião, para garantir que as obrasde reparo das instalações danificadas pelos presos sejam tocadas com tranqüilidade.Na ocasião, um grupo de bandidos tentou explodir o muro de trás da unidade, que ficou com um buraco no concreto.O objetivo era permitir uma fuga em massa, mas osguardas detiveram os presos, que se rebelaram e fizeram três guardas reféns. Eles retiraram as portas das celas e destruíram as salas onde funcionam o gabinete da direção, a escola e os postos de atendimento médico e odontológico.Os detentos se renderam no domingo à tarde. Um preso morreu e um agente penitenciário e cincopresos ficaram feridos. A Empresa de Obras Públicas (EMOP) do Estado calculou o prejuízo em R$ 512.497,64.Atualmente, Bangu 1 ? onde ficam os presos mais perigosos do Rio ? é a única unidade do complexo penitenciário que dispõe de bloqueador de celular. O secretário de Administração Penitenciária já anunciou que, em 60 dias, Bangu 2, 3 e 4 também terão o sistema. O processo de licitação já começou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.