Mal súbito mata secretários de Rio e Fortaleza

O secretário de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro, Mário Tinoco, morreu na tarde desta quinta, em Brasília, de parada cardíaca causada por uma síndrome que altera o ritmo do coração. Tinoco jantava na madrugada de quarta-feira com amigos quando passou mal. Atendido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros, foi levado para a UTI do hospital Santa Lúcia. Uma segunda parada cardíaca nesta Quinta vitimou o secretário. De acordo com os médicos que o atenderam, Tinoco tinha uma disfunção rara de origem genética, chamada de Síndrome de Brugada, difícil de diagnosticar previamente e que pode causar uma arritmia muitas vezes fatal já na primeira manifestação. O enterro está previsto para as 16 horas de hoje no cemitério Jardim da Saudade, no Rio de Janeiro.Fortaleza - Já em Fortaleza, o secretário de Educação e Assistência Social, Paulo de Melo Jorge Filho, conhecido por Paulo Petrola, de 63 anos, morreu após passar mal durante solenidade. O governador Lúcio Alcântara (PSDB-CE) estava no evento. Médico, Alcântara deu os primeiros socorros ao secretário, que foi levado para o hospital particular São Mateus e acabou não resistindo.A causa da morte, provavelmente foi uma parada cardíaca. Paulo Petrola se sentiu mal por volta do meio-dia durante discurso que realizava. Repentinamente, interrompeu e disse: "Vou parar porque não tenho mais condições físicas de falar". Em seguida, estendeu a mão para uma pessoa que passava frente, sentou-se e logo após deitou-se no colo de uma pessoa à mesa.De acordo com testemunhas, Petrola estava com inchaço no pescoço e com a boca espumando. Foi levado no carro do prefeito Juraci Magalhães para o hospital, cerca de cinco minutos depois. O enterro está previsto para acontecer nesta Sexta à tarde, depois que uma filha dele chegar dos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.