Malabarismos na Acadêmicos do Tucuruvi agitam público

Com o enredo ´Renovar é preciso para que o viver seja preciso´, a Acadêmicos do Tucuruvi iniciou seu desfile às por volta das 03h45 deste sábado. Apesar da simplicidade nas fantasias e carros alegóricos, a escola ganhou a simpatia e agitou o público do Sambódromo do Anhembi com a comissão de frente que teve malabarismos. Doze acrobatas vestidos de gafanhotos formaram uma pirâmide humana e levantaram uma garota de apenas 11 anos como um pássaro. A coreografia também contou com acrobacias e piruetas na avenida. O carro abre-alas trouxe um guerreiro com armadura e asas, representando a energia renovável. Ainda que bastante colorido, tinha pouco movimento, e, estático, não emocionou as pessoas quando a escola entrou na avenida. Por volta das 4h30, o Sambódromo de São Paulo permanecia lotado. A escola, que ficou em oitavo lugar em 2006, trouxe 3.200 componentes, distribuídos em 21 alas, cinco carros alegóricos e 230 ritmistas. Destaque para a mistura de samba com batidas de rap que marcou a introdução do samba-enredo, além das paradinhas da bateria. A apresentação da Acadêmicos do Tucuruvi foi no mesmo nível da Tom Maior e da Imperador do Ipiranga, que não empolgou muito a platéia. Os carros alegóricos, as fantasias e as alegorias estavam num patamar inferior que o da X-9 e da Império da Casa Verde. O enredo sobre renovação traz um tema politicamente correto e ecológico. Destaque para o carro alegórico movido a energia eólica. Por volta das 04h30, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, deixou o sambódromo e ressaltou que gostou dos desfiles, mas não garantiu sua presença na noite deste sábado.

Agencia Estado,

17 Fevereiro 2007 | 05h12

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.