?Malhação? do Judas atrai oito mil pessoas em Itu

Cerca de oito mil pessoas, segundo o cálculo da Guarda Civil Municipal, assistiram hoje ao estouro do Judas, tradição que se repete há mais de 60 anos em Itu, a 98 quilômetros de São Paulo. O boneco recheado de bombas, que representa o apóstolo que traiu Jesus Cristo, estourou ao meio-dia, junto com outro boneco representando Satanás. Em Itu, essa forma de ?malhar? o Judas acontece sempre no Domingo de Páscoa, e não no sábado de Aleluia, como ocorre no resto do Estado. O boneco do diabo, amarrado no alto de um mastro, desceu pela corda e caiu sobre os ombros do Judas, causando a explosão. O estrondo, precedido de silvos e baterias de morteiros, arrancou aplausos do público. Restos do apóstolo traidor e do diabo, confeccionados com papelão, pano e cola, e recheados com 40 quilos de bombas, voaram pelos ares. A platéia, mantida a uma distância de 50 metros por um cordão de isolamento, não correu perigo. Depois de 12 anos, o estouro do Judas voltou a ser realizado na Praça Padre Miguel, no centro da cidade. Até o ano passado, vinha sendo feito no Estádio Muncipal "Novelli Júnior". A mudança da praça para o estádio ocorreu após um acidente no qual seis pessoas ficaram feridas. Comerciantes e moradores reclamavam o retorno da encenação para a região central. O prefeito Lázaro Piunti (PSDB) decidiu atender os pedidos. O guarda civil Roberto Vicente aprovou a mudança. "Aqui o povo pode ver mais de perto." O fogueteiro Zico Gandra, de 86 anos, que confeccionou os bonecos e comandou o espetáculo, estava emocionado. "Era meu sonho fazer o estouro na praça outra vez."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.