Malta pediu ajuda ao Gaeco

A assessoria do senador Magno Malta (PR-ES), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, confirmou que foi ele mesmo quem pediu para o Gaeco entrar na investigações sobre a rede de abusos sexual infantil de Catanduva. Malta, que esteve na cidade do interior paulista neste mês, fez o pedido porque não acreditava nos métodos de investigação impostos até agora para apuração das denúncias. De acordo com a assessoria, Malta aproveitou de um contato antigo que tinha com promotores do Gaeco de SP para pedir a participação deles no caso. Essa aproximação de Malta com o Gaeco se deu quando o senador foi presidente da CPI do Narcotráfico e o Gaeco fez diversas investigações para a CPI naquela oportunidade. Os promotores esperavam para hoje a presença de Malta em Catanduva, mas o senador não conseguiu embarcar em três tentativas. Ele confirmou que chegará, então, a Catanduva na terça-feira da semana que vem, quando terão início os trabalhos da CPI da Pedofilia naquela cidade. Anteriormente, os trabalhos estavam previstos para ter início na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.