Mancha Verde faz desfile para Suassuna no Anhembi

Destaque não fica só com o enredo, mas também com a presença do próprio homenageado no desfile

Aline Scátola, SÃO PAULO

02 de fevereiro de 2008 | 12h52

SÃO PAULO - A Mancha Verde se une às comemorações dos 80 anos do dramaturgo Ariano Suassuna com o samba-enredo "És Imortal. Ariano Suassuna, Sua Vida, Sua Obra, Patrimônio Cultural". O destaque não fica só com o enredo, mas também com a presença do próprio homenageado no desfile, que tem início previsto para as 23h35.

Veja Também:

O Sambódromo de São Paulo

Saiba tudo sobre as escolas do Rio de Janeiro

O Sambódromo do Rio

As fotos do 1º dia de desfile em SP
Paraibano, Suassuna é palmeirense em São Paulo e adorou a idéia de fazer parte da festa, conta a assessora da Mancha, Thais Dantas. Além de entrar no Sambódromo, o escritor também participou do processo criativo com a equipe do carnavalesco Eduardo Caetano. Para a escola, o tema partiu da vontade de mudar de enfoque. "A história dos carnavais da Mancha são de vencer, de luta, de injustiça. Este ano a gente quer mudar este tema. Então veio o idéia de homenagear a alegria do Ariano", explica Thais. A agremiação da Barra Funda nasceu em 1995 por iniciativa da torcida organizada do Palmeiras, que queria "participar de outra paixão nacional", o carnaval. Hoje a escola independe da torcida, mas conta com ela na hora do desfile. No ano passado, a Mancha foi a única a competir pelo Grupo Especial Desportivo porque a Gaviões da Fiel, do Corinthians, desfilou pelo Grupo de Acesso. Por causa disso, afirma Thais, o desfile foi muito mais uma brincadeira. "Esse ano é diferente: como a Gaviões está disputando (no Grupo Especial), vamos competir, fazer algo mais glamouroso". Parte do glamour, diz a assessora, vai no carro abre-alas, de 35 metros, que está "no nível das outras escolas, que cada ano estão maiores".Todo ano, conta Thais, a bateria tem uma surpresa para a hora do recuo. Mas ela não quebra o suspense: "Isso nem eu tenho como falar". À frente da bateria, a rainha Viviane Araújo, atriz e modelo que ficou conhecida quando namorou o cantor Belo, já é presença confirmada no desfile, que contará com cerca de 3.500 integrantes, puxados pela voz de Vaguinho.Na comissão de frente, a representação de um grande clássico de Suassuna, "O Auto da Compadecida", e a cargo do mestre-sala, Fabiano Dourado, e da porta-bandeira, Jéssica Oliveira, a imagem do cangaceiro que o dramaturgo imortalizou. O investimento para este ano contou com colaboração da prefeitura de São Paulo, direitos de transmissão do desfile pela televisão e da iniciativa privada. Confira o samba-enredo da Mancha Verde, composto por Rafa do Cavaco, Tiago de Xangô, Juninho Berin, Imperial, Chumbinho e Tião.És Imortal. Ariano Suassuna, Sua vida, Sua obra, Patrimônio CulturalA Mancha é paixãoA razão do meu viverEm verde e branco, rompi barreirasEnsinando a vencer (bis)Avanti... Mancha Verde na avenidaNo esplendor do "Auto da Compadecida"Iluminando a vida em obrasDe um menino que nasce pra históriaRevolução "batiza" o filho do sertãoNo cariri a emoçãoEntra em cena a seduçãoAlma de palhaço no picadeiro da ilusãoÉ na luz do sol que arde a paixãoFaz sorrir o coraçãoZélia um mundo de eterna magia e poesia (bis)Cavaleiro dos sertõesA mostrar em tradiçõesA luta do bem e do mal, herança medieval.Ecoa a voz do nordestePovo guerreiro cabra da pestePatrimônio culturalE fez-se então o ArmorialSegue o romanceiro tão felizDesbravando esse paísAo preconceito disse nãoSe é de igual pra igual vou sacudir geralSuassuna és imortal!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.