Thomas Santos/AGIF
Thomas Santos/AGIF

Mandado é cumprido e goleiro Bruno volta para a prisão

Ele se apresentou após saber que a decisão do STF, que cassou seu habeas corpus, havia chegado a Varginha (MG)

Rene Moreira, Especial para O Estado

27 Abril 2017 | 15h50

Dois dias após o Supremo Tribunal Federal (STF) revogar a liminar que o mantinha em liberdade, o goleiro Bruno Fernandes voltou à prisão na tarde desta quinta-feira, 27. Era perto das 14 horas quando ele se apresentou na Delegacia Regional de Varginha (MG).

Após os tramites no local, ele passaria por exames de praxe no Instituto Médico Legal (IML) e seria mandado para o presídio da cidade. Bruno foi condenado a mais de 22 anos de prisão pela morte de Eliza Samudio, ocorrida em 2010.

O goleiro está voltando para a cadeia após 62 dias em liberdade. Na terça-feira, 25, a 1ª Primeira Turma do STF votou a favor de parecer emitido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedindo a revogação da liminar que libertou o atleta.

Ao se apresentar nesta tarde, ele entrou rapidamente na delegacia e se negou a falar com a imprensa.

O advogado do goleiro, Lúcio Adolfo, já adiantou que vai recorrer em favor do cliente. "A intenção é conseguir sua liberdade o quanto antes", afirmou. No entanto, o contrato do atleta com o Boa Esporte deverá ser rescindido, como estava previsto caso ele retornasse para a prisão.


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.