Mandante de morte de PM é condenado a 24 anos de prisão

Diego Fernando de Oliveira Carlos, de 22 anos, acusado de matar um policial militar, foi condenado na quarta-feira, 18, a 24 anos de prisão em regime fechado. Depois de sete horas de julgamento, o juiz Rogério Dana Chaib leu a sentença, na Primeira Vara Criminal, em Limeira, interior de São Paulo, onde ocorreu o crime, no dia 9 de abril de 2006. A decisão, apesar de ter sido por unanimidade, cabe recurso já que a pena passa dos 20 anos. Diego é acusado de encomendar a morte do soldado Charles Santana Mendes, de 31 anos, da Força Tática da Polícia Militar em Limeira. O réu já estava preso antes de ser julgado e, segundo investigações, teria encomendado o crime por causa de um desentendimento com o policial. Ao ser preso, foi reconhecido por testemunhas como sendo a pessoa que mostrou aos atiradores quem deveria ser morto. No dia do crime, Mendes estava de folga. O policial foi morto no Bairro Cecap, vítima de uma rajada de metralhadora. Os tiros foram disparados por ocupantes de uma moto Honda CG vermelha. Diego foi preso no mesmo dia por policiais militares que perseguiram uma moto Honda Titan preta, pilotada pelo acusado. O garupa, Mauro Kikurchi Mourão, de 21 anos, também foi detido, e liberado em seguida. Na mesma noite, Mourão e Janilson Balbino, de 35 anos, foram assassinados.

Agencia Estado,

19 Abril 2007 | 04h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.