Maníaco atacava na saída do metrô

Polícia usou imagens de TV e o Orkut para chegar ao analista de comunicação; 4 jovens já o identificaram

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

19 Fevereiro 2009 | 00h00

A polícia prendeu ontem um homem acusado de estuprar quatro mulheres em locais próximos das estações do Metrô Vila Mariana, Paraíso, Jabaquara e Saúde. Segundo a polícia, o suspeito agia desde março do ano passado nesses locais. Uma das vítimas, uma moça de 26 anos, foi atacada na escadaria de um prédio comercial em dezembro, na Avenida Jabaquara.O analista de comunicação Alexandre Filadelfo Suyama, de 29 anos, conhecido como Hut, foi detido pela manhã em sua casa, na região do Metrô Conceição, após ter a prisão temporária de 30 dias decretada. No 96º DP (Brooklin), o rapaz foi reconhecido por quatro mulheres. Apelidado pela polícia de "maníaco do metrô" era investigado desde 20 de dezembro, quando aconteceu o último estupro. Câmeras do circuito interno do prédio comercial gravaram imagens do suspeito acariciando a mulher de 26 anos no elevador. Os dois passaram facilmente pela portaria, pois Suyama fez a vítima dar as mãos para ele.O que foi decisivo para sua captura é que nas imagens ele aparecia com um boné preto com a sigla Hut. Policiais procuraram a sigla em um site de relacionamento da internet, o Orkut, e descobriram a identidade do acusado, que usa o mesmo apelido desde a infância.Segundo o delegado Antônio Carlos Munera Silveira, titular do Setor de Investigações Gerais (SIG), da 2ª Delegacia Seccional Sul, Suyama, com 1,85 metro, preferia mulheres de baixa estatura e magras, que não oferecessem resistência. Ainda segundo o delegado, o preso já tem passagem por tentativa de estupro. Além dos quatro crimes, Suyama confessou ter violentado mais duas mulheres. O delegado vai investigar esses casos e espera que mais vítimas apareçam no 96º DP.CDPDe acordo com a polícia, as mulheres que já identificaram o bandido têm 15, 16 e 21 anos de idade. Além da jovem estuprada no prédio comercial, os outros crimes ocorreram em casas abandonadas,também nas redondezas das estações de metrô. O suspeito seria transferido ainda ontem para o Centro de Detenção Provisória de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. A polícia vai pedir à Justiça que ele aguarde julgamento preso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.