"Maníaco do Parque" vai a julgamento pela terceira vez

Francisco de Assis Pereira entra em julgamento amanhã, a partir das 13h, pela terceira vez, no 1º Tribunal do Júri. Desta vez vai responder por quatro homicídios qualificados, ocultação de cadáver e atentados violentos ao pudor. As vítimas são as jovens Selma Ferreira Queiroz, Patrícia Gonçalves Marinho, Raquel Mota Rodrigues e uma desconhecida, mortas por estrangulamento nas matas do Parque do Estado entre janeiro a julho de 1998. Serão julgados de uma única vez quatro processos que foram unificados.A sessão será presidida pelo juiz Homero Maion e se encerrará provavelmente na quinta-feira. Doze testemunhas serão ouvidas em plenário. A acusação estará a cargo do promotor Edilson Mougenot Bonfim, que vai pedir a condenação do réu a pena variável entre 70 a 90 anos de prisão. Atuará na defesa a advogada Maria Elisa Munhol, que em base em laudo psiquiátrico vai pedir aos jurados que reconheçam a semi imputabilidade do réu. Se a tese for acolhida, a pena terá redução de um a dois terços ou poderá ser substituída por medida de segurança, consistente em internação no manicômio judiciário pelo prazo mínimo de três anos.Francisco de Assis já foi levado a júri duas vezes, e condenado a um total de 45 anos pelas mortes de Rosa Alves Neta e Isadora Frankel. Além disso cumpre na Penitenciária de Itaí mais 107 anos por crimes de estupro, atentado violento ao pudor e roubos contra nove mulheres que sobreviveram aos seus ataques.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.