Manifestação complica trânsito na região da Avenida Paulista

Os motoristas enfrentavam trânsito complicado no final da tarde desta quinta-feira, 8, por causa da manifestação que reúne cerca de seis mil pessoas na Avenida Paulista em comemoração ao Dia Internacional da Mulher e em protesto contra a visita do presidente americano, George W. Bush, à cidade.Como o grupo ocupava totalmente a pista sentido Consolação da Avenida Paulista volta das 17 horas, na altura da Praça Oswaldo Cruz, a orientação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) era para que os motoristas evitassem a região. Um desvio foi montado pela Rua Treze de Maio. Também havia problemas no corredor Bernardino de Campos, formado pelas avenidas Vergueiro e Domingos de Morais. A melhor opção era a Avenida Brasil. No sentido Paraíso, o congestionamento chegava a dois quilômetros. Por volta das 17h30, houve um princípio de confronto entre os policiais militares e os manifestantes, que chegaram a ocupar as duas pistas da Avenida Paulista. O corre-corre começou em frente ao Masp, ponto final da passeata. Os ativistas começaram a se desentender com os policiais, que estouraram bombas de gás lacrimogêneo. Houve agressões entre os dois lados. Além da manifestação, a chegada do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, à cidade, prevista para ocorrer por volta das 20 horas, também irá complicar a situação dos motoristas. Por questões de segurança, os locais e horários por onde o presidente vai passar não foram divulgados. Mas o Comando Militar Sudeste informou que as Ruas Heinrich Hertz, Arizona, Leon Foucault, Edward Weston, John Baird e James Joule, no Itaim Bibi, na zona sul, já foram interditadas. Bush e a primeira-dama, Laura Bush, vão chegar na noite de quinta-feira no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos. De lá, seguem para o Morumbi, na zona sul da cidade, onde vão ficar hospedados no hotel Hilton. Por conta da presença do casal, a Avenida Luís Carlos Berrini ficará interditada (veja no especial ao lado as regiões mais prejudicadas).Às 17h30, a CET registrou 39 quilômetros de congestionamento pelas principais vias, índice dentro da média para o horário. O pior trecho estava no corredor norte-sul, formado pelas avenidas Rubem Berta, 23 de Maio e Moreira Guimarães, em direção ao Aeroporto de Congonhas, onde o motorista diminuia a velocidade por cinco quilômetros, entre a Praça da Bandeira até o Viaduto Euclides Figueiredo. Na pista expressa da Marginal Tietê, sentido Lapa-Penha, havia cinco quilômetros de congestionamento desde a Ponte da Casa Verde até a Rua Azurita. Na Ligação Leste-Oeste, sentido Penha, havia problemas entre a Praça Franklin Roosevelt até a Rua Wandenkolk, cerca de 3.5 Km. ChuvaUma forte e rápida pancada de chuva atingiu parte da zona sul e da Marginal do Pinheiros na tarde desta quinta e o Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura (CGE) colocou essas regiões em estado de atenção, às 15h55, por conta do risco de alagamentos.O temporal atingiu principalmente os bairros Jardim Ângela, Jardim São Luís e Capão Redondo. Por volta das 16h30, uma chuva fraca atingia a região e não havia registros de alagamentos. Porém, a previsão é de pancadas isoladas em várias partes da capital até o fim da tarde. Também chovia de forma moderada em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. Até este horário, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil não haviam registrado nenhuma ocorrência referente ao temporal. Texto atualizado às 17h35

Agencia Estado,

08 de março de 2007 | 17h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.