Manifestação fecha Ponte da Amizade por oito horas

Ex-funcionários da Prefeitura de Ciudad del Este, no Paraguai, protestam por readmissão, conseguida na Justiça

Evandro Fadel, do Estadão,

20 de agosto de 2007 | 12h33

Manifestantes de centrais sindicais paraguaias fecharam, entre as 4 horas da madrugada e o meio-dia desta segunda-feira, 20, a Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Este, no Paraguai. Eles protestavam contra a não reintegração de 320 servidores da prefeitura da cidade paraguaia, demitidos em 2000, depois de uma greve.   A Justiça paraguaia determinou a readmissão dos funcionários e o pagamento dos salários atrasados, que chegaria a cerca de R$ 20 milhões. A prefeitura alega que, para reintegrá-los e pagar a indenização, há necessidade de previsão orçamentária.   Pela manhã, Ciudad del Este ficou praticamente isolada, pois, além da ponte, várias rodovias foram fechadas pelos manifestantes. O comércio fronteiriço, normalmente agitado em manhãs de segunda-feira, permaneceu fechado. Alguns paraguaios, que passaram para o Brasil nas primeiras horas da madrugada, para buscar verduras, também ficaram impedidos de retornar. No lado brasileiro, formou-se uma fila de carros com aproximadamente 2 quilômetros. Apesar dos reflexos, a manifestação foi pacífica.   Por volta do meio-dia, promotores paraguaios conseguiram negociar a liberação da ponte, com o compromisso de investigar denúncias contra a administração municipal e tentar que a determinação judicial seja cumprida. Os manifestantes partiram, então, para a frente da prefeitura onde fizeram protestos. Depois, foram para a praça principal da cidade. Eles se comprometeram a não interromper mais o trânsito na Ponte da Amizade.   Matéria ampliada às 15h09

Tudo o que sabemos sobre:
Ponte da Amizademanifestação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.