Manifestantes bloqueiam rodovias no Maranhão

Para esta tarde está previsto protesto na frente de emissora de TV da família Sarney

Ernesto Batista, Especial para o Estado

27 de junho de 2013 | 12h05

SÃO LUÍS - Três protestos tomam as ruas de São Luís nesta quinta-feira, 27, em três pontos diferentes. Os manifestantes estão bloqueando duas rodovias: a BR-135, única ligação da cidade, que é uma ilha, e o continente, e a MA-203, no município de Raposa, na região metropolitana de São Luís. Também há protesto em ruas dos Vinhais, um bairro de classe média. Apesar dos bloqueios, a situação é pacífica e a Polícia Miliar e a Polícia Rodoviária Federal estão apenas acompanhando o manifesto.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Aluízio Mendes, a PM só intervirá se for solicitado ou se houver casos de vandalismo. "Vamos compartilhar a responsabilidade com a Guarda Municipal e com a Polícia Rodoviária Federal nessas ações, mas a PM continuará dando apoio, caso seja necessário. A polícia tem feito o seu trabalho de forma preventiva e vai continuar nas ruas para manter a ordem, porém definimos melhor o papel de agente", disse o secretário, após uma reunião com representantes dos órgãos de segurança federal e municipal.

Outras três manifestações estão marcadas para esta tarde no centro. Uma delas, intitulada "Mesmo sem voz, não calaremos", está marcada para as 16h, na frente da emissora de TV Mirante, afiliada da Rede Globo e de propriedade da família Sarney.

Sem confronto. Na noite de quarta-feira, cerca de 2 mil manifestantes saíram às ruas de São Luís em um protesto pacífico, sem notícias de confronto com a polícia. Eles percorreram cerca de 15 quilômetros entre a Praça Deodoro, local da concentração, e o retorno da Cohama. O grupo passou pela Assembleia Legislativa e a Casa do Trabalhador, onde foram feitos atos simbólicos. O único incidente registrado foi a quebra de uma vidraça da guarita localizada na entrada da Assembleia Legislativa, porém não houve escalada de violência, ao contrário dos outros dias. Até agora 28 pessoas foram detidas nos confrontos e 5 continuam presas, enquanto outras 29 - incluindo 11 policiais e 2 jornalistas - ficaram feridas desde que as manifestações se intensificaram em São Luís, no último dia 19.

Tudo o que sabemos sobre:
protestossão luísmaranhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.