Manifestantes pedem fim da guerra no Iraque em SP

Aproximadamente 2 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, saíram esta tarde em passeata do vão do Museu de Arte Moderna de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, em direção ao consulado dos Estados Unidos na capital, pedindo a retirada imediata das tropas americanas do Iraque e o cessar fogo na região. A manifestação começou por volta das 15 horas e faz parte de um movimento que reúne 50 países contra a invasão das tropas anglo-americanas no Iraque. Em São Paulo o protesto reuniu representantes e membros de diversos partidos políticos de esquerda, como o PC do B, Partido da Causa Operária (PCO), e do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados (PSTU). Também participam representantes do MST, da UNE e da CUT.Em cima de um carro de som, o deputado do PC do B de São Paulo, Jamil Murad afirmou que, se nada for feito, os Estados Unidos continuarão invadir diversos países por interesses econômicos. Os próximos da lista são a Síria e a Coréia do Norte, disse. Segundo o deputado, a Organização das Nações Unidas (ONU), deve ser ouvida, e um governo com líderes iraquianos devem ser instalados no Iraque. "Pedimos também a criação de um tribunal internacional para julgar os crimes de guerra do presidente George W. Bush", afirmou.No vão do Masp, diversos manifestantes traziam faixas com o retrato de Bush vestido como o líder nazista Adolf Hitler. Alguns cartazes pediam também a libertação do povo palestino e protestavam contra a criação da Alca. A passeata está prevista para terminar por volta 18h, depois que os manifestantes entregarem um documento de protesto para o cônsul geral dos Estados Unidos em São Paulo, Patrick Duddy.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.