Manifestantes protestam contra tortura na Febem

Cerca de 80 pessoas ligadas a associações de direitos humanos, entre elas mães de internos, se reuniram na Rua Boa Vista, em frente ao Pátio do Colégio, na região central de São Paulo, às 11 horas desta quinta-feira, 20, para protestar contra a tortura nas unidades da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem).Em 4 de abril, uma rebelião no Complexo Tatuapé da Febem deixou pelo menos cinco adolescentes feridos e fez 26 funcionários reféns. No dia 10, o assessor de Direitos Humanos do Ministério Público Estadual (MPE), promotor Carlos Cardoso, anunciou que pediria abertura de inquérito policial para apurar a origem de hematomas em pelo menos três internos do ComplexoA constatação foi feita em vistoria do MPE e do deputado estadual Ítalo Cardoso (PT) nas Unidades 14 e 23, destruídas no motim, e no antigo presídio onde estão 131 jovens das unidades. "A situação é preocupante", disse Ítalo. Em 12 de abril, a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa divulgou um em que pedia o afastamento de quatro diretores, acusados de maus-tratos. "O que os adolescentes aprendem na Febem é como se tornar criminosos", disse, na época, o presidente da comissão, deputado Ítalo Cardoso (PT), que afirmou ter enviado o relatório ao Ministério Público Estadual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.