Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Manifestantes voltam a acampar perto do prédio de Cabral, no Leblon

Grupo espera adesões de professores descontentes com o acordo entre sindicalistas e o governo do Rio

Adriano Barcelos, O Estado de S. Paulo

28 Outubro 2013 | 11h30

RIO - Manifestantes iniciaram às 6 horas desta segunda-feira, 28, uma nova ocupação nas imediações do prédio onde mora o governador Sérgio Cabral (PMDB), no Leblon, zona sul do Rio. O grupo, que neste momento é formado por 12 pessoas, está instalado no canteiro central da Avenida Delfim Moreira, próximo ao Posto 12 da Praia do Leblon, na altura da rua de Cabral, a Aristides Espínola. Eles esperam novas adesões ao longo do dia, inclusive de professores descontentes com o acordo entre sindicalistas da categoria e o governo do Estado.

A intenção, segundo um dos manifestantes, é permanecer no local até o fim do ano. Ao chegar, o grupo foi abordado por policiais militares - eles avisaram que não será permitido acampar no local. Manifestantes disseram que não vão montar barracas. "Essa ocupação não é contra o governador Sérgio Cabral, é contra ele, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) e todo o sistema político do Rio", disse um dos integrantes, que não quis se identificar.

Os manifestantes são em sua maioria estudantes, de várias regiões da cidade e da Baixada Fluminense. Alguns haviam participado do "Ocupa Câmara", na Cinelândia, e do "Ocupa Cabral" anterior, no mesmo local. O acampamento na Delfim Moreira, agora chamado de "Ocupa Leblon" já foi desmontado duas vezes – a primeira pela polícia, e a última por decisão dos manifestantes, após 40 dias, no início de setembro. Pela manhã, o grupo começou a receber as primeiras doações de água e alimentos.

Mais conteúdo sobre:
protestos Sergio Cabral Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.