Mantega admite que Coaf pode não conseguir apurar origem de dinheiro para o dossiê

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta terça-feira que existem várias hipóteses que explicariam a dificuldade de se identificar a origem dos recursos que pagariam a compra do dossiê contra o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra. De acordo com o ministro, uma das possibilidades seria que o saque do dinheiro tenha sido feito de contas legítimas e corretas."Se esse for o caso, não podemos exigir que esses órgãos tenham a resposta imediata, de última hora, inclusive poderiam cometer erros", afirmou. Outra hipótese, de acordo com o ministro, é que essas operações tenham sido feitas abaixo de R$ 100 mil, e assim elas não são registradas e fiscalizadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).Segundo Mantega, o Coaf está "empenhado e trabalhando e, assim que tiver a resposta, se tiver, porque há coisas que não se consegue apurar, ela será transmitida para os órgãos competentes". Em nota, o Coaf esclareceu que tem milhares de operações acima de R$ 100 mil, que são as identificáveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.