Mantega critica a Justiça por suspender MP 324

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou, na manhã desta segunda-feira, a decisão da Justiça de Brasília de suspender a validade da Medida Provisória 324, que libera o crédito adicional de R$ 1,5 bilhão para diferentes áreas da União. A Justiça entendeu que a medida poderia ter caráter eleitoreiro."Acho que se está cometendo um equívoco, porque foi interpretada como uma medida de caráter eleitoreiro. É uma bobagem", disse Mantega, para quem a liberação dos recursos foi uma medida de rotina, que não tem qualquer impacto sobre o pleito de 2006.Segundo o ministro, do total dos recursos liberados, R$ 500 milhões serão usados para pagar serviços bancários prestados pela Caixa Econômica Federal ao governo; R$ 500 milhões para despesas da Fazenda, principalmente, relativos ao Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro); R$ 148 milhões para prevenção da gripe aviária; R$ 300 milhões para remanejamento de investimentos públicos."Então não tem nenhum caráter eleitoral. Foi uma atitude de rotina, que foi mal interpretada e vamos procurar reverter isso", concluiu.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2006 | 10h55

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.