Mantega diz que o governo não vai liberar verba para Incor

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o governo federal não deve liberar recursos neste momento para a Fundação Zerbini, que mantém o Instituto do Coração (Incor) , no Hospital das Clínicas, em São Paulo. A instituição tem uma dívida estimada em R$ 245 milhões acumulada nos últimos anos. Mantega ressaltou que uma ajuda financeira não seria suficiente para salvar o hospital. "Não é um problema fácil de equacionar, porque não é apenas uma questão financeira. Há necessidade de fazer um ajuste operacional profundo, uma mudança na gestão", disse Mantega, para quem o Incor de Brasília, por exemplo, tem se mostrado insustentável do ponto de vista operacional.A decisão foi anunciada após uma reunião com o governador de São Paulo, Cláudio Lembo e o secretário estadual de Saúde, Luís Roberto Barradas Barata na manhã desta quinta-feira, 16.O ministro também anunciou que será formada uma comissão que se encarregará de propor soluções para a crise do Instituto. "Os membros do ministério da Saúde, da secretaria de Saúde de São Paulo e do BNDES", informou o ministro.Na avaliação de Mantega, não é necessária a edição de nenhuma medida provisória ou de liberação de recursos do Ministério da Fazenda neste momento para socorrer a Fundação Zerbini porque o governo do Estado lhe garantiu que o atendimento no Incor não será prejudicado com esta crise. O Estado ficará responsável pelo fornecimento dos medicamentos usados pelo hospital. Mantega disse também que existe a possibilidade de liberação de recursos do Ministério da Saúde, mas que isso ainda está em estudo. O secretário da Saúde informou que o governo paulista vai assumir integralmente o pagamento dos salários dos funcionários do Incor que recebem complemento da Fundação Zerbini. Sobre os 600 servidores que recebem o pagamento integral pela fundação, o governo não terá com ajudar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.