Mantega nega que esteja fazendo campanha para Lula

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou que esteja fazendo campanha para a reeleição do presidente Luiz Inácio lula da Silva e contestou as declarações do candidato presidencial tucano, Geraldo Alckmin, sem citar seu nome, de que estaria havendo "farra fiscal" e que as contas públicas estariam desequilibradas. "Não estou em campanha, não farei campanha. Estou 100% dedicado às atividades administrativas, zelando para que se dê o crescimento (econômico) e para que, até o final do ano, tenhamos uma boa gestão pública. E vou entregar a fatura", afirmou Mantega, ao chegar ao Ministério da Fazenda, depois de ter conversado com o presidente Lula no Palácio do Planalto. Mantega disse que é "sólida" a situação da economia brasileira e que seu desejo é de que essa situação seja transferida para o próximo governo, "seja lá quem ele for." "Se a gente começar a deixar que certas acusações inverídicas sejam veiculadas sem resposta, isso é grave. Se alguém fala ´ah, estamos numa farra fiscal´, não estamos. Na semana passada, divulgamos o superávit primário, de 4,51% do PIB. Então, não tem farra fiscal nenhuma. E aí alguém fala ´há uma rigidez monetária´, mas eu estou mostrando que o Brasil está crescendo, que está havendo investimento. Então, a situação monetária está adequada", declarou. A acusação de oposicionistas de que Mantega estaria fazendo campanha para Lula foi feita após seguidas entrevistas convocadas por Mantega para divulgar números positivos da economia e concessão de aumentos salariais principalmente para servidores públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.