Mantida condenação de caseiro por morte de casal americano

A condenação do caseiro Jossiel Conceição dos Santos a 25 anos de prisão em regime fechado, pelo assassinato do casal norte-americano Zera Todd e Michelle Staheli, ocorrido no final de 2003, foi mantida pela 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A sentença era contestada pela defesa de Jossiel, que requeria a anulação da decisão, e pelo Ministério Público Estadual, que pedia que a pena fosse aumentada. Ambos os recursos foram rejeitados. O então diretor de Gás e Energia da Shell, Zera Todd Staheli, de 39 anos, e sua mulher, Michelle, de 36 anos, foram mortos a golpes de pé-de-cabra enquanto dormiam em sua residência na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Zera morreu no dia do assassinato e Michelle quatro dias depois. Os dois foram encontrados na cama pelo filho de 10 anos. Não houve roubo nem arrombamento. A família estava no Brasil havia apenas três meses, com os quatro filhos. Jossiel, 20 anos, era caseiro de imóvel vizinho ao do casal norte-americano e foi preso na madrugada do dia 1º de abril. Depois de efetuada a prisão, ele teria confessado o assassinato do casal Staheli, segundo a polícia. No entanto, essa confissão foi desmentida por Jossiel de duas maneiras diferentes, em depoimentos posteriores. Apesar disso, o exame das roupas que o caseiro usava no dia que o casal foi assassinado, feito em um laboratório particular, apontou que os vestígios de sangue ali encontrados eram de Michelle. Em março do ano passado, Jossiel foi condenado pela juíza Maria Tereza Donatti, da 29ª Vara Criminal do Rio a 25 anos de prisão em regime fechado.

Agencia Estado,

19 Abril 2007 | 21h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.