Manutenção no sistema de rádio de Brasília retém vôos

Os controladores do Centro de Controle do Tráfego Aéreo de Brasília (Cindacta-1) levaram um grande susto na manhã deste sábado, 9. Às 11h10, o sistema de rádio sofreu nova pane. Por quase cinco minutos, a central, que coordena 80% do tráfego do País, ficou sem nenhuma comunicação com pilotos. Porém, em nota, a Aeronáutica negou que tenha ocorrido nova pane e informou que houve na verdade um procedimento de manutenção.Segundo a Aeronáutica, a manutenção foi realizada pelo técnico italiano Umberto Cagni, da empresa SITTI, que exigiu retenção de alguns vôos para ajustes no sistema. O procedimento, que já estava previsto, de acordo com o órgão, interrompeu por alguns minutos a Comunicação da central com os pilotos. De acordo com o comunicado, o técnico da SITTI, "realizou procedimentos de manutenção na central de áudio do Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), entre 11h08 e 11h16 e entre 11h25 e 11h32 (HBV), dando continuidade aos serviços de validação do sistema". Após a manutenção, "o controle de fluxo permaneceu, com espaçamento de cinco minutos entre as decolagens, a fim de validar a operacionalidade das freqüências com total segurança". A FAB conclui a nota dizendo que "ao final dos trabalhos, foi confirmada a normalidade no funcionamento da central". Como teve curta duração, a pane não produziu muitos reflexos. Houve uma breve suspensão das operações que atrasou pousos e decolagens. Com a rápida recuperação do sistema de rádio, partidas e chegadas voltaram à normalidade.Segundo boletim da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), do total de 1092 vôos programados entre meia-noite e 17 horas, 354 tiveram atraso superior a uma hora e 32 foram cancelados. O Aeroporto de Internacional de Cumbica, em Guarulhos, foi o que apresentou a maior quantidade de atrasos: 58. Em Congonhas, foram 32.Matéria alterada às 20h25 para atualização de informações

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2006 | 17h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.