Edison Vara/Reuters
Edison Vara/Reuters

Maquete virtual vai ajudar investigação da tragédia em boate de Santa Maria

Peça perpetuará estado exato de como ficaram as coisas após incêndio, diz delegado

Elder Ogliari,

19 Fevereiro 2013 | 19h33

PORTO ALEGRE - Peritos da Polícia Civil do Distrito Federal começaram a elaborar uma maquete virtual da boate Kiss, em Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul, nesta terça-feira. A primeira tarefa foi coletar imagens do interior da casa noturna com um scanner alemão de alta precisão para reconstruir em três dimensões o cenário da tragédia que matou 239 pessoas.

O delegado Marcelo Arigony disse que a peça vai perpetuar o estado exato de como ficaram as coisas depois do incêndio, o que facilitará as análises da investigação e poupar o trabalho de voltar à boate constantemente para novas análises. O desastre ocorreu na madrugada de 27 de janeiro, depois de uma fagulha de um artefato usado em show pirotécnico atingir o revestimento de espuma da casa.

Segundo dados do boletim mais recente da Secretaria Estadual da Saúde, emitido na noite de domingo, 33 feridos no incêndio ainda estão em seis hospitais da capital gaúcha e um hospital de Santa Maria. Das 145 pessoas internadas inicialmente, cinco morreram e 107 tiveram alta até agora.

Mais conteúdo sobre:
Santa Maria Kiss incêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.