Máquina caça-níquel agora dá prisão em São Gonçalo, no Rio

Comerciante, seja dono ou gerente, que tiver máquinas no estabelecimento será preso em flagrante

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

19 Agosto 2009 | 10h25

O comerciante, seja dono ou gerente, que tiver máquinas de caça-níqueis em estabelecimentos de São Gonçalo, no Rio, agora será preso em flagrante, segundo informações do Ministério Público (MP) do Estado. A medida faz parte de acordo entre a 2ª Central de Inquéritos do MP, a Delegacia Regional de Polícia do município e o 7º Batalhão de Polícia Militar. Antes a polícia apenas apreendia as máquinas.

 

Segundo o promotor de Justiça Cláucio Cardoso da Conceição, "mudou o entendimento no combate às máquinas caça-níqueis. A determinação é endurecer e interpretar rigorosamente a norma. Todos sabem que existem componentes contrabandeados, como os noteiros, nessas máquinas. A ordem é apreender as máquinas e prender em flagrante o responsável pelo estabelecimento, que vai ser indiciado por contrabando ou descaminho na delegacia distrital. Depois o inquérito será remetido para a Justiça Federal", explicou.

Mais conteúdo sobre:
caça-níqueis São Gonçalo prisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.