Mar revolto dá trabalho a salva-vidas no Rio

As fortes ondas e o mar revolto assustaram, neste domingo, os banhistas que lotaram as praias da zona sul e da zona oeste do Rio.Houve 92 salvamentos, segundo o comandante do Grupamento Marítimo, coronel Marcos Aurélio Silva.Um dos resgates aconteceu no piscinão de Ramos, nova área de lazer do subúrbio carioca, onde uma criança de oito anos quase se afogou. Foi resgatada por um salva-vidas do G-Mar.Apesar de a inauguração do piscinão estar programada somente para o dia 16, moradores da região ignoraram a programação oficial e mergulharam neste domingo mesmo nas águas da Baía da Guanabara, que recebeu um tratamento especial para permitir os banhos.Na Barra da Tijuca, um barco e um jet ski viraram. Dois pescadores que estavam no barco, Edmilson Fragoso, de 42 anos, e Augusto Jorge dos Santos, de 32, foram resgatados ainda de manhã pelos bombeiros do Grupamento Marítimo.Eles tentaram chegar ao mar aberto com o barco Azulão, de 12 pés (4 metros), mas não conseguiram enfrentar as ondas. À tarde, foram salvos os passageiros do jet ski, Rafael Teixeira, de 36 anos, e Mônica Guerra, de 19, que viraram no mesmo lugar.Um banhista da praia de Grumari, na zona oeste, Humberto de Freitas, de 20 anos, teve de ser levado de helicóptero até o Centro de Recuperação de Afogados."O mar está traiçoeiro, perigosíssimo", disse o coronel na tarde deste domingo, quando acompanhava os trabalhos de resgate e salvamento na Barra. O banho ficou proibido na área próxima ao quebra-mar da Barra.A Secretaria Estadual de Meio Ambiente fez testes para verificar a qualidade da água tratada no piscinão e constatou baixos índices de poluição, o que fez o secretário, André Corrêa, a declarar, na semana passada, que o piscinão será a praia mais limpa do Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.