Maradona exagera como galanteador em camarote vip

O ex-craque argentino Diego Maradona deu um misto de show e vexame no carnaval do Rio. Cortejou mulheres acompanhadas, mas foi o vip mais saudado dos camarotes na primeira noite de desfile. Don Diego chegou cercado de 11 seguranças e já causando algum constrangimento ao camarote da Brahma, embora parecesse sóbrio. Seguiu para o local reservado aos convidados mais importantes, no canto direito, conhecido como curral, cercado por grades de ferro. Sua passagem causou tumulto. "É briga?", perguntaram alguns convidados. Atrás do ex-jogador, seguranças, fotógrafos e curiosos quase atropelaram a modelo Daniella Cicarelli. Sentado na sacada, durante os desfiles ou no trajeto até o restaurante, em alguns intervalos, o ex-jogador perdia a linha. Ele se entusiasmou com a Unidos de Vila Isabel (cujo enredo homenageava a América Latina), ao lado do ator Reinaldo Gianecchini, e cortejou Mel Brito, madrinha de bateria da Caprichosos de Pilares e mulher do presidente da agremiação, Paulo de Almeida. "Estou enamorado. Dá-me tu telefono!", disse ele. Confiante, o marido deixou que a própria Mel desse um fora em Maradona. Passistas da Rocinha e a modelo Fabiana Andrade, que desfilou com os seios à mostra, foram outros alvos do galanteador. Ele ainda beijou Denise Cinelli, da Imperatriz Leopoldinense. A caminho do jantar, por volta de 1h30, de novo cercado por seguranças, Maradona parou repentinamente e desfez o cordão de isolamento para beijar uma das convidadas, a loira Daniela Gatti. "Eu só queria dar um beijo, mas sou casada. Não quero nada com ele", justificou, depois, a moça. Maradona entregou sua camisa de convidado da Brahma a um gari que limpava a avenida, no intervalo dos desfiles. Mas ficou até o fim. Antes de sair, deixou sua assinatura na nova camisa oficial da seleção brasileira, exposta no restaurante do camarote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.