Maratona no sambódromo começa bem antes do desfile

Os desfiles em São Paulo começam hoje, mas desde ontem o movimento era intenso no sambódromo. Uma multidão de funcionários dava os últimos retoques para a festa: montavam plataformas, instalavam catracas, carregavam freezers, erguiam estandes. Quase 5 mil profissionais se envolveram com a produção do carnaval, entre eletricistas, pintores e marceneiros. "A estrutura já está pronta. Agora faltam os arremates finais. O trabalho é feito sem parar, durante 24 horas, e os funcionários se revezam em turnos", diz o coordenador de Ações Estratégicas da SPTuris, Marcos Santana. A preparação do Anhembi para o carnaval consumiu R$ 1,7 milhão entre compra de materiais, locação de estruturas e contratação de funcionários. Os números também impressionam: 2.500 metros de madeira, 110 quilos de pregos, 1.640 m² de tendas, 240 caixas acústicas, 108 amplificadores, 1,4 megawatts em lâmpadas, 20 mil metros de cabos, 110 quilos de arame. A pista de 530 metros por onde desfilam as escolas será pintada quatro vezes com tinta branca. Amanhã de manhã, após a primeira noite do desfile, o pessoal da limpeza varre e lava a passarela. Em seguida, recebe mais uma camada de tinta. "Consultamos a meteorologia para saber se vai chover, o que dificulta a secagem da tinta", diz Luis Carlos Pellacani, chefe da equipe de pintura. Depois de dez anos trabalhando no Anhembi, ele está acostumado com a correria. Os trabalhos de pintura começaram em outubro com a preparação dos camarotes, dos guardrails e das torres onde ficam os jurados. Ao todo, segundo ele, são utilizados quase 5 mil litros de tinta branca, cinza, azul e amarela. Essa á a primeira vez que telões são montados nas arquibancadas. Os seis telões de 4,20 m de largura por 4 m de altura, instalados ao longo da passarela, vão transmitir imagens do carnaval. "O público das arquibancadas poderá ver os detalhes das alegorias e acompanhar o começo do desfile", diz Carlos Gomes, técnico em eletrônica da Eletromídia. A equipe de 20 funcionários terminou a instalação na terça-feira, mas Gomes voltará ao Anhembi hoje para desfilar na Rosas de Ouro. ÚLTIMOS RETOQUESAos poucos, os sacos pretos que cobrem os enormes carros alegóricos vão sendo retirados. A função é proteger os adereços do sol e da chuva, mas também manter em segredo algumas surpresas para o desfile. As áreas reservadas para receber os carros no sambódromo funcionam como barracões das escolas, onde são feitos os últimos reparos. As estruturas maiores são transportadas durante a madrugada, mas as partes menores chegam a todo momento. Por causa das pontes das Marginais e dos fios elétricos, os carros chegam ao sambódromo com 4 m. Após a montagem, ultrapassam os 12 m. Além da montagem, são feitos reparos na pintura e decoração que podem ter sofrido algum dano durante o trajeto. NÚMEROS35 m³ de concreto4.500 litros de tinta19.500 m de cabos 1.200 m de cerca1,4 MW em lâmpadas2,5 km de grades isolantes240 caixas acústicas4 km de placas de fechamento visual

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.