Marco Aurélio disse que votou no candidato que vai ganhar

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Marco Aurélio Mello, disse que votou no candidato à presidente da República que ganhará as eleições. "Eu votei no candidato que ganhará. Estou certo que ganhará", disse o ministro, sem revelar, no entanto, o nome. Marco Aurélio disse que não se baseia em pesquisas eleitorais. "Eu acho que o eleitor não pode se basear nas pesquisas. O eleitor tem que votar de forma conscientizada", afirmou. Marco Aurélio criticou o voto útil, que, segundo ele, tem uma visão distorcida. "O eleitor deve buscar a eleição daquele que entenda que seja o melhor candidato", disse, depois de votar em uma escola, no Lago Sul, em Brasília.Ao ser lembrado de que as pesquisas apontam para uma vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com mais de 20 pontos porcentuais de diferença em relação ao segundo candidato, Geraldo Alckmin (PSDB), Marco Aurélio respondeu: "Nós tivemos no primeiro turno, também, a sinalização de certos resultados que não se confirmaram". "Vamos aguardar a totalização", recomendou. Ele chegou às 10h16 para votar, enfrentou uma pequena fila de apenas três pessoas, e distribuiu broches do TSE para os mesários com o símbolo "Vota Brasil" para incentivar o voto. O presidente do TSE disse que não usa a prerrogativa de furar a fila para votar, porque comparece nas urnas como cidadão e não como presidente da Justiça Eleitoral. E brincou: "Dizem mesmo, e aí eu não fujo à regra, que brasileiro gosta de fila".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.