Marco Aurélio diz que não haverá caixa dois como em 2002

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio Mello, afirmou nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, que acredita que não haverá caixa dois na eleição deste ano, ao contrário do que ocorreu em 2002. "O que concluímos e não podemos ser ingênuos é que em 2002 houve recursos não contabilizados. Já agora, em 2006, não, tendo em conta a quadra vivida no Brasil, em que mazelas não são mais escamoteadas", disse. "Até mesmo os doadores que doavam por debaixo do pano, e aí estou me referindo especificamente ao caixa dois, estiveram em 2006 mais espertos. O que é muito bom em termos de avanço cultural", afirmou Marco Aurélio.O ministro fez o comentário ao ser indagado sobre o fato de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, terem previsto gastos muito superiores aos declarados pelos candidatos ao Palácio do Planalto em 2002, apesar de a legislação recente ter supostamente barateado as campanhas, impondo uma série de proibições, como a realização de showmícios. Em 2006, Lula previu um limite de gastos de R$ 115 milhões. Alckmin, R$ 95 milhões. Em 2002, o petista declarou ao TSE ter gasto R$ 33,7 milhões e seu então adversário, José Serra, R$ 34,4 milhões.Marco Aurélio disse também que Lula será punido se tiver culpa no episódio do dossiê contra tucanos. "Como dito até por Sua Excelência, o presidente da República, todos estão submetidos à ordem jurídica brasileira. E se houver culpa, aí se terá conseqüências", disse. Atualmente, tramita no TSE uma investigação para apurar as responsabilidades em relação ao dossiê. Um dos investigados é Lula.Ele pediu que os eleitores votem de forma consciente no domingo. Ele alertou que os brasileiros têm de buscar "dias mais felizes". "É preciso que cada eleitor compreenda que o ato de votar terá repercussões nas respectivas vidas, em termos de emprego, habitação, saúde, segurança e custo de vida". O ministro voltou a defender o fim da possibilidade de reeleição. Ele anunciou que até as 23 horas de amanhã a Justiça Eleitoral já deverá ter apurado 99% dos votos.Este texto foi alterado às 18h37.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.