Mares Guia vê coincidência em dois acidentes aéreos em 10 meses

O ministro das RelaçõesInstitucionais, Walfrido Mares Guia, afirmou nesta quarta-feiraque não há motivo para que a população tenha medo de voar, apóso acidente com um avião da TAM, o pior da história da aviaçãobrasileira. Segundo ele, não se discute a segurança dos vôos no país eé coincidência o fato de os dois acidentes aéreos mais graves-- com o avião da TAM na véspera e um da Gol no ano passado --terem ocorrido em um intervalo de apenas dez meses. "Não tem que ter medo de voar, nós não estamos discutindo--a própria CPI já levantou essa discussão-- a segurança dosvôos. Nós temos milhares de vôos no Brasil em dezenas deaeroportos", disse a jornalistas, acrescentando que é um"contumaz" usuário do aeroporto de Congonhas, em São Paulo,onde ocorreu o acidente com o avião da TAM na noite passada. Questionado se era apenas coincidência os dois acidentes emum curto espaço de tempo, Mares Guia respondeu: "É. Um foi noar... porque um transponder estava desligado... O outro foi nosolo." Ele acrescentou que é preciso ter prudência ao comentar odesastre de terça-feira e que ninguém sabe ainda por que oavião da TAM aterrissou e não conseguiu parar. Perguntado se a culpa vai sobrar para o piloto do Airbus320, Mares Guia afirmou que não pode achar nada, mas disse quea culpa não é do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Não é culpa do presidente um piloto de um avião executivodesligar o transponder e nem às vezes é culpa do presidente,nem de ninguém, a não ser de quem está pilotando, se o desastreque aconteceu ontem foi uma falha humana. Por isso acho que nóstemos que ter uma prudência enorme para não levantar suspeitaonde não temos evidência ainda." (Reportagem de Isabel Versiani)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.