Maria do Pó é transferida para o Carandiru

A traficante Sônia Aparecida Rossi, conhecida como Maria do Pó, foi transferida nesta manhã da Casa de Custódia de Taubaté, no Vale do Paraíba, para a Penitenciária Feminina do Carandiru, em São Paulo. A transferência aconteceu às 7 horas da manhã, sob forte esquema policial, com 20 homens e sete viaturas. Um dos principais crimes atribuídos a Maria do Pó é o roubo de 300 quilos de cocaína do IML (Instituto Médico Legal) de Campinas, em 1999. Esta foi a terceira vez que a traficante foi transferida, em menos de um mês. Presa na Casa de Custódia de Taubaté desde abril de 1999, Maria do Pó foi removida para a penitenciária feminina de Tremembé no dia 3 de dezembro e retornou à Custódia de Taubaté 15 dias depois. Segundo informações de agentes penitenciários do presídio de Tremembé, o local não era seguro o bastante para ficar com uma presa de alta periculosidade. A informação não foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria, Maria do Pó foi removida para São Paulo por questões administrativas. Durante o tempo em que ficou detida na Casa de Custódia de Taubaté, Maria do Pó enfrentou uma rebelião que deixou nove mortos. Além disso, foi alvo de investigação quando o seu filho Fábio Ferreira Leite tentou resgatá-la, com a ajuda de outros cinco homens. O resgate foi frustrado pela polícia e atualmente Ferreira Leite está preso. Maria do Pó é considerada pela polícia como uma das maiores traficantes do Estado de São Paulo, tendo sido um dos alvos da CPI do Narcotráfico.

Agencia Estado,

27 de dezembro de 2002 | 13h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.