Marido pagou para roubarem carro da mulher

A polícia desvendou, na noite desta quinta-feira, o assassinato da auxiliar administrativa Eliana Fátima Alves, de 38 anos, morta na última segunda-feira quando voltava da faculdade, na região do Jaguaré, zona norte da capital paulista.Segundo a polícia, o marido dela, Aldo Antonio Ribeiro, de 38 anos, pagou, no domingo, R$ 700,00 ao mecânico Caiubi Viana, de 43 anos, para que este roubasse o Astra preto da mulher. Além do dinheiro, o marido teria fornecido um mapa com o trajeto que a mulher costumava fazer.De acordo com a polícia, Ribeiro estaria em dificuldades financeiras e queria receber o dinheiro do seguro. Em depoimento à polícia, o mecânico disse que pagou R$ 500,00 para Alexandre Souza Alves de Oliveira, de 23 anos, fazer o serviço. Viana também deu a ele a arma do crime, um revólver calibre 38 com a numeração raspada.Segundo o mecânico, o marido de Eliane pediu para ele roubar o carro há cerca de dois meses. Por não aceitar o pedido, ele teria repassado a um terceiro o roubo do carro.O marido da vítima nega a versão do mecânico e disse que não encomendou o roubo do carro. A oficina mecânica fica a poucos metros da casa onde Oliveira vivia com a mulher e uma filha de 17 anos. No dia do crime, o irmão de Eliane teria dito à polícia que o casal estava em crise.Segundo a polícia, Eliana tinha um seguro de vida e o beneficiário era o marido. Para o delegado Marcos Gomes de Moura, titular do 46º Distrito Policial (Perus), o marido teria tido outros meios de se desfazer do veículo. ?Por que ele não levou o carro a um desmanche? Não tinha sentido colocar a vida da mulher em risco?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.