Marido que matou mulher em Santa Catarina continua em liberdade

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu manter em liberdade o engenheiro Flávio Omar Schneider, atendendo ao recurso da defesa de Schneider, preso em janeiro deste ano pelo assassinato de sua esposa, em Lages, Santa Catarina. De acordo com as investigações policiais, ele teria cometido o crime depois de ter surpreendido a companheira em sua residência com outro homem. O relator do recurso, ministro Paulo Medina, entendeu que faltou fundamentação para o decreto de prisão preventiva, que se embasou apenas na gravidade do delito e no clamor público, argumentos que não autorizam a prisão. Além disso, o ministro destacou que o passado favorável, a primariedade e a residência fixa do engenheiro enfraquecem a sua periculosidade. Também não ficou comprovado o risco de fuga ou ameaça às testemunhas pelo fato dele ficar solto. Após a descoberta da traição, o engenheiro e a esposa, que tinham dois filhos, teriam acertado a separação, sendo que ela ficaria na casa da família até o fim do processo. No entanto, no dia seguinte, o engenheiro retornaria à residência armado com uma barra de ferro, matando a mulher.Em seguida, Schneider teria colocado a mulher no carro da família e dirigiu-se até um pequeno declive. Lá, abandonou o veículo para simular um acidente. O automóvel acabou parando junto a um barranco e uma testemunha chamou a polícia. Seguindo as pistas, os agentes chegaram ao engenheiro, que confessou o crime. Ele foi denunciado por homicídio duplamente qualificado - motivo torpe e meio cruel - e ocultação de cadáver.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.