Marina critica rivais por recusa a debate

Para candidata do PV, Serra e Dilma ajudam a promover 'empobrecimento da democracia' ao desistir de confronto previsto para segunda

Roldão Arruda, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2010 | 00h00

A senadora Marina Silva, candidata do PV à Presidência, criticou os concorrentes José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) por terem se recusado a participar do primeiro debate online entre os presidenciáveis, que ocorreria na segunda-feira. Segundo Marina, a desistência dos dois empobrece a democracia.

"A recusa ao confronto de ideias é promover o empobrecimento da democracia pela qual tanto lutamos, inclusive Dilma e Serra", atacou a senadora, em nota distribuída por sua assessoria logo após ela ter sido informada do cancelamento do debate, na quinta-feira à noite.

"Como se não bastasse terem reduzido o leque das candidaturas e das propostas com a exclusão de Ciro Gomes do processo eleitoral, agora querem inibir o próprio eleitor de conhecer, por meio dos debates, as visões, as propostas e as trajetórias dos candidatos à Presidência da República", prosseguiu a candidata do PV. "Querem criar no Brasil o anonimato eleitoral, em que o anônimo passa a ser o cidadão brasileiro, privado de ter acesso sobre o que cada candidato pensa para o País."

Disposição. Ao fim da nota, a senadora disse que, em respeito ao eleitor, está disposta a participar de todos os fóruns que ajudem a esclarecê-lo sobre os candidatos e suas propostas. Também afirmou que se submeteria a uma sabatina na segunda-feira, caso os organizadores do evento desejassem.

O debate, organizado pelos portais iG, MSN, Terra e Yahoo!, foi cancelado na noite de quinta-feira, após Serra ter anunciado que não participaria. Foi a segunda desistência: Dilma já havia anunciado na terça-feira que não iria.

Segundo os organizadores, tanto Serra quanto Dilma haviam concordado anteriormente em participar. A assessoria da candidata do PT disse que ela desistiu após a data do debate ter sido mudada sem nenhuma consulta ao comitê de campanha. Ontem, em Florianópolis, Serra afirmou que sua decisão foi motivada por um "problema sério".

A única que se manteve interessada no debate foi Marina, que está situada em terceiro lugar nas pesquisas eleitorais, com menos de 10% das intenções de voto e bem atrás dos adversários Dilma e Serra.

Estratégia. A candidata do PV tem defendido a realização de debates desde o início da movimentação eleitoral. Essa disposição está ligada ao tempo de TV de que ela dispõe no horário da propaganda gratuita que começa no dia 17. É pouco mais de um minuto, contra 10 minutos de Dilma e 7 de Serra. A vantagem dos debates é que os três sempre têm o mesmo tempo para falar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.