Marina defende terceira geração do Bolsa-Família

ESPECIAL PARA O ESTADO / NATAL

Anna Ruth Dantas, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2010 | 00h00

Pré-candidata à Presidência pelo PV, a senadora Marina Silva defendeu a implementação da terceira geração do programa Bolsa-Família. Segundo ela, a ideia é continuar com a distribuição de renda, mas focando na profissionalização dos jovens.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif PV lançará candidata em ato para 'periferia urbana'

"A primeira geração era o sacolão, não era o melhor caminho. A segunda foi o Bolsa-Família, transferência direta de renda com contrapartida simples, e a terceira geração deve promover a inclusão produtiva", disse.

De acordo com a pré-candidata, a terceira geração manteria o programa para as famílias em situação de risco, investimentos pesados em educação seriam feitos e haveria uma cesta de oportunidades para treinar pessoas em determinadas atividades.

Na capital potiguar para cumprir agenda de dois dias, Marina defendeu um Plano de Desenvolvimento Sustentável para o Nordeste e, ao falar de eleição, lamentou a retirada da candidatura de Ciro Gomes da disputa presidencial e alfinetou os pré-candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) ao afirmar que eles "têm dificuldade para lidar com alternância de poder."

A senadora chamou a atenção para o que definiu de "realinhamento histórico" entre PSDB e PT. "Se ganhar vou querer governar com os melhores desses partidos. Se PT e PSDB continuarem sem conversar, o Brasil vai sempre ficar de mal a pior."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.