Marina e Dilma abrem as doações pela internet

PV e PT já arrecadam contribuições online de pessoas físicas; Serra não adotará modelo

Daiene Cardoso AGÊNCIA ESTADO, João Domingos BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2010 | 00h00

A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, deu a largada ontem à arrecadação de contribuições online. Em sua página na internet, há um espaço para receber doações de pessoas físicas, por meio de cartões de crédito. Desde sexta-feira, o sistema vem operando em caráter experimental e já arrecadou quase R$ 12 mil - doados por 127 pessoas em 21 Estados.

A campanha do PV foi a primeira entre os candidatos à Presidência a abrir espaço para doações de pessoas físicas pela internet. Segundo Marina, é a oportunidade de mobilizar a sociedade para quebrar "o velho sistema de política tradicional em que as doações são um grande mistério". "É um legado que deixamos para a sociedade e para as outras campanhas", completou.

A abertura oficial de arrecadação foi no comitê de campanha de Marina, na capital paulista, e teve a presença de Ari, de 11 anos, neto do falecido médico e deputado José Aristodemo Pinotti, que ofereceu R$ 20 para a campanha. Ela encontrou o garoto em fevereiro no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e os dois conversaram sobre a simpatia que o avô nutria por ela e pelas causas ambientais. Como na época a candidatura ainda não estava oficializada, Marina disse que chamaria o menino quando o sistema de arrecadação começasse a funcionar.

"É uma criança interessada em assuntos ambientais e fico muito emocionada com esse gesto", disse. A cantora Adriana Calcanhoto também fez uma doação durante o evento e conversou com Marina, pela internet, usando o sistema de comunicação Skype.

A ideia de arrecadar pela internet surgiu em agosto de 2009 e foi inspirado na campanha presidencial de Barack Obama, nos Estados Unidos, mas só agora a campanha conseguiu tornar viável o sistema. A dificuldade foi adequar o sistema das operadoras de cartão de crédito às regras da Justiça Eleitoral.

Marisa. O índice de aprovação popular de 85% do presidente Lula foi o chamariz encontrado pela campanha da petista Dilma Rousseff para também inaugurar seu sistema de doação de pessoas físicas via internet. A primeira a doar foi Marisa Letícia, mulher do presidente Lula, que contribuiu com R$ 1.013. O valor faz referência ao número 13, do PT.

A primeira-dama foi também estrela de um vídeo postado na principal página de Dilma Rousseff na internet - www.dilma13.com.br. Nele, Marisa ensina como fazer a doação com o cartão de crédito pelo computador. Nas imagens distribuídas pela campanha de Dilma, a primeira-dama utiliza um laptop.

Numa mensagem dirigida aos internautas de todo o Brasil, o ex-prefeito de Diadema José de Filippi, tesoureiro da campanha de Dilma, cita Lula por duas vezes e a candidata apenas uma vez. Diz que o presidente "cumpriu os compromissos que assumiu de fazer o País crescer distribuindo renda".

Segundo a mensagem, "o Brasil conquistou destacada posição internacional, criou quantidade recorde de empregos e tirou 24 milhões de pessoas da pobreza", palavras que funcionam quase como um mantra na campanha da petista - tanto é que são repetidas por ela nas entrevistas e nos debates.

Tucanos. O PSDB, que há três semanas já havia anunciado a desistência de promover um sistema de arrecadação online via cartão de crédito para a campanha de José Serra, voltou a analisar o caso ontem.

Ao fim do dia, porém, a assessoria de imprensa da campanha de Serra sustentou a decisão: em virtude da relação custo-benefício pouco atraente e por conta dos riscos envolvidos na operação, o partido não promoverá a doação pela internet.

Segundo interlocutores da campanha, as operadoras de cartão de crédito cobram altas taxas de administração, o que torna a implementação das doações pouco interessante. Além disso, o PSDB avalia que o volume de recursos arrecadados pela internet será modesto, o que não justificaria o investimento na criação de software específico. O partido cita ainda a burocracia da Justiça Eleitoral como outro entrave.

CAMPANHA NA INTERNET

As regras para a doação online

1. Qualquer eleitor pode fazer doação por meio de cartão de crédito com bandeiras Visa ou Mastercard, desde que emitidos no Brasil

2.O doador deve ser pessoa física, deve estar com o CPF em situação regular e não pode ter pendências na Receita Federal

3.É preciso preencher na página do candidato para o qual se quer doar um cadastro com nome, endereço completo, telefone e e-mail

4.O valor mínimo de doação depende de cada partido. O PV estipulou R$ 5. O limite é de 10% do rendimento bruto declarado no IR de 2009

5. O eleitor que fizer a doação pode informar na declaração de Imposto de Renda de 2011 todos os valores repassados ao candidato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.