Marina prega o fim dos 'atravessadores políticos'

O Brasil precisa ter uma espécie de realinhamento histórico entre PT e PSDB e, se for eleita, a candidata do PV à Presidência, Marina Silva, pretende estabelecer o diálogo entre os dois partidos. "Precisamos acabar com os atravessadores políticos", disse ontem à noite a presidenciável em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura.

, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2010 | 00h00

Marina enfatizou que quem votar nela deve saber de sua pretensão de fazer um governo com os melhores do PSDB, do PT e do PV já que, disse ela, ninguém consegue governar sozinho. "Quero aprender com nossos erros desses 16 anos", afirmou, referindo-se aos governos de Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva.

A candidata do PV afirmou não ter problemas com os candidatos José Serra (PSDB) ou Dilma Rousseff (PT), mas com a visão que eles têm. "Os dois se colocam numa posição de gerentes do Brasil", criticou.

Ao comentar sobre o apoio que Lula tem dado à petista, a senadora observou que ele tem "extrapolado". "É um homem de atividade política, sempre foi e não seria diferente, mas deveria fazer com moderação para não ferir a lei", comentou.

Sobre controle da mídia, Marina disse ter "sempre uma posição contrária a tudo aquilo que possa cercear a liberdade de expressão". A senadora foi a primeira presidenciável a ser entrevistada pelo programa. Serra será entrevistado no dia 21 e Dilma, no dia 28.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.