Marinha continua busca a padre desaparecido em SC

Religioso pretendia voar 20 horas usando balões de festa gigantes e pousar em Dourados (MS)

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

21 Abril 2008 | 02h13

Embarcações da Marinha, com auxílio de pescadores, estão à procura do padre Adelir Antonio de Carli, de 41 anos, desaparecido no mar de Santa Catarina. Nascido em Realeza (PR) e à frente da Coordenadoria Pastoral Rodoviária do Paraná, Carli levantou vôo neste domingo da cidade de Paranaguá(PR) com o objetivo de bater um recorde: voar por 20 horas usando balões de festa gigantes. A intenção era realizar o pouso na cidade de Dourados(MS). Por causa do mau tempo, o padre chegou a ficar a mais de 50 quilômetros da costa. Antes de deixar o chão, ainda deixou sua mensagem para todos: "Se o padre voa para ajudar os que rodam, por que você também não pode ajudar?". No final da tarde, parte doa balões que permitiram Carli levantar vôo foi encontrada no mar de São Francisco do Sul, litoral norte catarinense. Militares teriam conseguido entrar em contato, via celular, com o padre momentos antes da queda. Em 13 de janeiro deste ano, usando 500 balões de festa, com gás Hélio, o padre levantou vôo da cidade de Ampère(PR) e chegou a subir 5.337 metros, batendo o recorde de um norte-americano, que havia conseguido chegar a 3,9 mil metros de altitude. O nome do padre Adelir Antonio de Carli começou a ganhar espaço na mídia quando denunciou ao Ministério Público Estadual em 2006 a expulsão de moradores de rua e tortura praticada por guardas municipais em Paranaguá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.