Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Marinha retira blindados de favelas da zona norte do Rio

Veículos foram usados para ultrapassar barreiras colocadas por traficantes e levar os policiais do Bope aos pontos mais altos do Complexo do Alemão

Pedro Dantas, O Estado de S. Paulo

07 de dezembro de 2010 | 18h18

RIO - A Marinha retirou os nove carros blindados do Complexo do Alemão e do Complexo da Penha, na zona norte do Rio de Janeiro. Os veículos para transporte de tropa foram usados para ultrapassar as barreiras colocadas por traficantes e levar os policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) aos pontos mais altos do morro, no dia 28, data do início da ocupação das favelas.

Em nota, a Marinha ressaltou que o equipamento continua em condições de pronto-emprego, em caso de necessidade. Os tanques do Exército permanecem circulando nos acessos aos conjuntos de favelas ocupados por tropas de paraquedistas e policiais militares.

Com a retomada da rotina no conjunto de favelas, a Polícia Militar (PM) anunciou que passará a patrulhar a região também com o emprego de agentes e cavalos do Regimento Montado (Rpmont). O mesmo policiamento é usado em jogos de futebol e em áreas nobres, como no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul.

As buscas em casas das favelas continuam. Nesta terça-feira, 7, em uma casa no Morro da Chatuba, na Penha, a PM apreendeu 100 quilos de maconha, uma metralhadora e uma pistola. O comandante da PM, Mário Sérgio Duarte, anunciou que o Batalhão de Campanha terá duas sedes em diferentes localidades do Complexo do Alemão e outra na Vila Cruzeiro.

Cerca de 60 veículos foram flagrados em diversas situações de irregularidade durante a manhã de hoje pela fiscalização do Departamento Estadual de Trânsito do Rio (Detran-RJ). A maioria dos veículos estava com o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) atrasado ou sem o licenciamento anual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.