Marrey entra com ação contra promotor que tentou matar mulher

O procurador-geral da Justiça do Estado de São Paulo, Luiz Antônio Guimarães Marrey, protocolou nesta quinta-feira, no Tribunal de Justiça, ação civil de decretação de perda do cargo contra opromotor João Luiz Portolan Galvão Minnicelli Trochmann.Marrey quer alijá-lo do Ministério Público por ?prática de crime incompatível com oexercício do cargo?. O promotor, na noite de 6 de dezembro do ano passado, na residência do casal emValinhos (SP), tentou matar a tiros sua mulher Érika May Trochmann.Eles estavam casados há um ano e meio quando Érika anunciou sua intenção de separar-se judicialmente. Em represália, ele passou a ameaçar a mulher. O crime foi cometido nodia em que foi expedido alvará numa ação cautelar de separação de corpos.João Luiz está afastado provisoriamente de suas funções por decisão do Conselho Superior do Ministério Público sem prejuízo do recebimento do salário. Está preso preventivamente no Regimento de Cavalaria 9 de Julho, no bairro da Luz e foidenunciado por tentativa de homicídio qualificado.O órgão especial do Tribunal de Justiça decidirá na próxima quarta feira se aceita ou rejeita a denúncia. Se for instaurado o processo-crime com resultado condenatório, João Luiz perderáautomaticamente o cargo se a pena for superior a 4 anos.A ação civil agora proposta, objetiva garantir seu desligamento do Ministério Público,mesmo que eventualmente receba pena inferior a quatro anos. Entretanto, se for absolvido, aação civil de perda do cargo perderá seu objeto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.